Energia solar atinge 23,9 GW, passa eólica e se torna 2ª maior fonte do Brasil, diz Absolar.

A energia solar fotovoltaica atingiu 23,9 gigawatts (GW) de capacidade instalada no Brasil, ultrapassou a energia eólica (que tem 23,8 GW) e se tornou a segunda maior fonte de geração do Brasil, segundo a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar).

O crescimento vem sendo impulsionado pelo segmento de geração própria — também conhecido como geração distribuída (GD) —, sistema de geração de energia elétrica instalado em telhados de casas, prédios e empresas e em terrenos. Isso porque consumidores estariam aproveitando um benefício que acabou nesta sexta-feira (6 de janeiro): a isenção na taxa de distribuição de energia até 2045.

A instalação de painéis solares tem sido tão forte que, em janeiro de 2022, a energia solar fotovoltaica tinha “apenas” 13 GW de potência instalada no Brasil — o que significa um crescimento de 84% em menos de um ano. Em setembro, eram 19 GW de capacidade.

Tentativa de prorrogação

A isenção na taxa de distribuição de energia até 2045 foi definida pelo Marco Legal da Geração Distribuída, sancionado em 2022 pelo governo Jair Bolsonaro (PL). Ele estabelece regras para a produção própria de energia como a solar fotovoltaica.

Deputados federais tentaram em dezembro estender o prazo para pedir o benefício, por mais 6 meses, mas o projeto de lei n° 2703/22 “emperrou” no Senado e não foi analisado antes do recesso parlamentar.

A expectativa é que senadores retomem a discussão após o recesso, a partir de fevereiro. “O problema disso é que, se os senadores aprovarem em fevereiro, provavelmente será preciso verificar a situação de quem solicitou a instalação após 7 de janeiro”, afirma Guilherme Susteras, coordenador da Absolar.

 

Fonte: InfoMoney. Link: https://www.infomoney.com.br/consumo/energia-solar-atinge-239-gw-passa-eolica-e-se-torna-2a-maior-fonte-do-brasil-diz-absolar/

Banco do Brasil Inaugura quatro usinas de Energia Solar

O Banco do Brasil inaugurou quatro usinas fotovoltaicas em dezembro, ao todo possuindo sete e prevê expansão do projeto. Sendo elas: Xique-Xique, na Bahia, Rio Paranaíba, em Minas Gerais, Loanda, no Paraná, e Lins, em São Paulo.

A instituição bancária já opera sete plantas. As duas primeiras foram inauguradas em 2020, em Porteirinhas, Minas Gerais, e em São Domingos do Araguaia, no Pará. Outro sistema foi inaugurado neste ano em Naviraí, Mato Grosso do Sul.

Os novos empreendimentos possuem 23 MWp e compensarão o consumo energético de 365 agências. No total, o banco deixará de emitir cerca de 3 mil toneladas de gás carbônico na atmosfera por ano.

De acordo com o BB, o projeto continuará em expansão nos próximos anos, já que o Banco do Brasil tem mais 22 usinas fotovoltaicas em fase de contratação ou em construção.

Os projetos de geração de energia fotovoltaica tem contrapartidas sociais. As empresas contratadas desenvolvem ações de benefício às comunidades locais, como plantio de árvores e instalação de painéis em entidades.

 

Fonte da notícia: Canal solar. Link: https://canalsolar.com.br/banco-do-brasil-inaugura-quatro-usinas-de-energia-solar/