A fabricante chinesa Huawei fechou uma nova parceria no Brasil em outro setor, a empresa ajudará na ampliação de uma obra na Coremas, no sertão da Paraíba, que constitui a maior usina de geração de energia solar do Brasil

O projeto tem 426 MW de potência, e a força da Huawei estará na área de Inteligência Artificial. A empresa vai disponibilizar uma solução chamada FusionSolar 6.0+, que permite uma redução no custo de energia de cinco usinas do complexo – uma economia total de 5% e rendimentos até 2% maiores, números considerados bastante elevados para o tamanho da obra.

Para fechar a parceria, Rio Alto foi à China conhecer os investimentos da Huawei em Pesquisa e Desenvolvimento. A plataforma escolhida é totalmente digitalizada e patenteada, baseada em algoritmos e análise de dados em larga escala. A fábrica foi visitada pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, nesta quinta-feira (17). Ele compareceu à cerimônia de abertura do local e em breve visitará a nova usina.

Melhor aproveitamento da energia solar

Os algoritmos também melhoram a conexão à rede elétrica, garantindo maior aproveitamento da energia solar fotovoltaica gerada pelas usinas. O complexo deve entrar em operação comercial em 2022.

Por outro lado, vale lembrar que a relação da Huawei com o governo é instável para a criação de uma usina de energia solar: os chineses correm o risco de ser proibidos de participar do leilão de frequências 5G e, se puder competir, dificilmente será escolhida por motivos políticos.

O governo dos Estados Unidos, que está em guerra comercial com a empresa desde o ano passado, pressiona os países aliados a não adotarem tecnologias chinesas.

FONTE: Click Petróleo e Gás

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Menu