Energia solar é parte da solução para evitar novas crises hídricas

Energia solar é parte da solução para evitar novas crises hídricas, avalia ministro

Em entrevista ao Canal Solar, Tarcísio de Freitas, estimou que cerca de R$ 130 bilhões serão investidos em energia solar até 2031

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, foi um dos convidados de honra do Energyear Brasil 2022, realizado nesta quarta (9) e quinta-feira (10), em São Paulo (SP). 

Após discursar, o magistrado concedeu entrevista ao Canal Solar e garantiu o compromisso da União com o setor fotovoltaico.

“É muito investimento que vai ser gerado. Vamos ficar cada vez menos vulneráveis às questões climáticas, como a que passamos no ano passado”, disse ele, se referindo à crise hídrica.  

Segundo Freitas, cerca de R$ 130 bilhões devem ser investidos somente no segmento de GD (geração distribuída) solar, segundo estimativas do PDE (Plano Decenal de Energia) 2031. 

O documento prevê a penetração de aproximadamente 35 GW de potência instalada solar ao final do horizonte decenal, em 2031. Ou seja, um acréscimo previsto pelo Governo de 26 GW em relação aos atuais 9 GW.

“No ano passado, tivemos em geração distribuída um acréscimo de quase 4 GW de capacidade e devemos ter, a partir de agora, ano após ano, 5,6, 7 GW. Isso representa muito para um país que passou por uma vulnerabilidade em função de uma crise hídrica”, disse ele.

Apesar das estimativas constadas no PDE 2031, o ministro frisou que acredita que os números podem ser ainda maiores. “Pela velocidade com que os investimentos e a carga que está sendo acrescida no sistema, talvez a gente supere essa expectativa que está sendo feita”, ressaltou. 

Ao final do evento, Freitas ainda se reuniu com representantes da Huawei Digital Power. Segundo a fabricante chinesa, a conversa teve como intuito estreitar relações. Representaram a empresa no encontro, Mason Qing (presidente), Humberto Cravo Neto (vice-presidente) e Bruno Guerra (diretor de contas globais). 

Deixe um comentário