Energia solar em 2022: Projeções para a modalidade energética são otimistas

Energia solar em 2022: Projeções para a modalidade energética são otimistas.

Desde 2020, a geração distribuída fotovoltaica vem crescendo cerca de 230% ao ano no Brasil; Saiba quais são as expectativas para o setor no próximo ano.

Em 2021, o Brasil entrou para o grupo de 15 países líderes em capacidade instalada de energia solar no mundo e as expectativas são que os investimentos na área expandam cada vez mais em 2022. 

Em recente divulgação, a Agência Internacional de Energia (IEA) trouxe a perspectiva que o uso de energia solar no mundo poderá chegar a 30% em 2022, já que a distribuição global de sistemas de energia solar tem crescido muito nos últimos anos e vem sendo impulsionada por contínuas reduções de custos, podendo então estimular o crescimento das energias oriundas de fontes renováveis, estabelecendo novos recordes para implantação em cada ano, de 2022 a 2040. Os países com a maior capacidade instalada de geração atualmente são a China, Alemanha, Japão e Estados Unidos.

Cenário nacional

No Brasil, em 2021 um número recorde de novos projetos solares foram registrados na ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica), a capacidade solar instalada no país atingiu 18 GW, enquanto em setembro de 2020, a carteira de projetos renováveis ​​registrados em desenvolvimento era de 8,7 GW.

Conforme a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), só na 1ª quinzena de outubro, a produção de energia a partir de usinas solares fotovoltaicas cresceu 46,6% e para 2022, acredita-se em números ainda maiores, já que desde 2020 a geração distribuída fotovoltaica vem crescendo cerca de 230% ao ano no Brasil.

Mercado de trabalho

Com a democratização da geração independente de energia elétrica a partir de painéis solares, o mercado de trabalho também se movimenta e fomenta a criação de oportunidades. A prestação de serviços de instalação ou manutenção de sistema solar subiu ao mesmo tempo em que a crise hídrica e o esvaziamento dos reservatórios das hidrelétricas deixou a conta de energia elétrica mais cara no Brasil, devido à instituição da nova bandeira tarifária de escassez.

Com a perspectiva de forte crescimento do mercado solar, a adoção da energia solar e a redução do custo dos painéis fotovoltaicos tendem a continuar aumentando também. É esperado durante os próximos anos que a legislação vá sendo modificada para favorecer os investimentos nesta área, melhorando o ambiente financeiro e estimulando investimento estrangeiro em projetos de energias renováveis, como parques solares, ampliando as opções de financiamento aos consumidores e empresários interessados.

Os parques solares podem fornecer energia para áreas remotas e fora da rede, permitindo que os agricultores se beneficiem de eletricidade limpa com preços previsíveis, maximizando o aproveitamento da área e permitindo o uso de energia solar fotovoltaica para melhorar as condições de cultivo.

agronegócio é um dos setores que mais tem utilizado a tecnologia para ajudá-los a cultivar e processar alimentos de forma mais lucrativa e sustentável. Os painéis solares são aliados naturais da tecnologia na revolução agrícola sustentável. A expectativa é de que a agricultura seja um dos principais impulsionadores da energia solar em 2022.

Comprometimento mundial

As empresas estão cada vez mais preocupadas com a preservação do meio ambiente e outras pautas de reputação, tornando questões ambientais, sociais e de governança, as ESG, elementos constantes nas agendas da diretoria desses negócios em todo o mundo. Os investidores estrangeiros esperam continuar a apoiar iniciativas verdes no Brasil durante 2022. Tomar medidas urgentes e confiáveis ​​contra o desmatamento e a destruição ambiental poderá abrir portas para cada vez mais investimentos do tipo.

A inovação em energia limpa também esteve em evidência na agenda da Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas, COP 26, como nunca visto anteriormente, demonstrando uma grande mudança nas conversas sobre o clima desde o último encontro em 2015.

Entre as principais conquistas presentes no acordo está um artigo que pede aos países que apresentem novos compromissos em reduzir as emissões de gases de efeito estufa até o final de 2022, quando está marcado para acontecer a COP 27, sediada no Egito.

Em seu texto final, o acordo firmado na COP 26 propõe acelerar a transição energética para fontes de energia limpas. Sugere também que os países aumentem os esforços para reduzir o uso de combustíveis fósseis e o carvão, porém sem estabelecer prazos. Essa é a primeira vez, em todas as 26 edições do evento, em que o carvão, o petróleo e o gás natural aparecem como os principais causadores das mudanças climáticas na conclusão da cúpula, sendo reconhecida explicitamente a necessidade de transição de combustíveis fósseis para renováveis.

Gerando a própria energia em casa ou na empresa

Qualquer pessoa pode economizar e contribuir para sustentabilidade e conservação do meio ambiente instalando painéis fotovoltaicos na sua residência ou empresa. Essa transformação, segundo o especialista Robert Fischer, sócio-fundador da Topsun Energia Solar, empresa referência no setor, é inevitável que essa transição aconteça.

“A energia solar é uma energia confiável, impulsiona a economia em geral e cria empregos em energia limpa, contribuindo com um futuro mais consciente e sustentável”.

Deixe um comentário