Em crescimento no Brasil, nova modalidade de energia é considerada a mais ecológica e econômica do mundo

A Energia Solar tem futuro promissor no Brasil. Em 2019, o modelo representava 22,9% do investimento nacional em energias renováveis. Com a queda gradual no custo da tecnologia e o aumento da conscientização socioambiental, a tendência é que o setor ganhe ainda mais destaque. Segundo a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), nos últimos 12 meses, o uso de energia solar triplicou no país.

No último semestre, o crescimento foi de 45%, mesmo com a pandemia. O sucesso da energia solar se dá, principalmente, pela economia de até 95% alcançada na conta de luz. 

Desde 2012, os painéis solares podem direcionar energia excedente para a rede pública, gerando créditos para serem utilizados no prazo de até 60 meses em períodos onde o consumo é maior do que a geração produzida. É uma solução econômica e colaborativa, que evita desperdícios e retroalimenta a rede elétrica local. 

Que tal trocar a conta de luz por uma parcela de um projeto de energia solar?

Juntar-se ao movimento crescente de pessoas e empresas que aderem a essa alternativa de fonte geradora de energia pode ser mais simples do que se acredita. Iniciativas de fomento à energia solar, como linhas de crédito, têm facilitado a compra e a instalação de painéis fotovoltaicos em diversos estados do Brasil.

Em um exemplo real, uma casa com 4 pessoas possuía uma conta de luz no valor de R$ 490,75. Essa família optou pela aquisição de um projeto de energia solar e financiou em parcelas de R$ 445,72, pagas durante o período de 5 anos. Nesse tempo, a conta de luz teve uma redução de 88%. Ou seja, a família simplesmente substituiu o valor da sua conta de luz, por uma parcela do financiamento do projeto de energia solar. 

O detalhe é que o projeto tem uma garantia de até 25 anos funcionando com até 80% da sua capacidade. Ou seja, mesmo após quitar a sua dívida, a família em questão vai continuar com sua conta de luz reduzida. O que representa uma economia de R$ 177.872,81 ao longo dos 20 anos seguintes. 

Em uma empresa, os números são ainda mais impressionantes. Uma companhia que pagava R$ 1.971,84 por mês em sua conta de luz financiou o seu projeto em parcelas de R$ 1.766,90, em um financiamento de 6 anos. Mesmo após esse período, a conta de luz seguiu reduzida, o que gerou uma economia de 92%, resultando em aproximadamente R$ 692.790,81 economizados ao longo de 25 anos. 

O Rio Grande do Sul é o segundo estado com maior potência de energia solar instalada, atrás apenas de Minas Gerais. Segundo Luiz César Wazlawick, Diretor de Negócios da Sicredi Pioneira RS.

FONTE: GAÚCHA ZERO HORA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Menu